sábado, 24 de maio de 2008

O Eco da minha voz

Estou a ouvir o meu eco.
Ganhei força e consegui finalmente gritar! Um grito silencioso que não pára de ecoar em torno de mim. Ouço a minha voz, num longo e indeterminado período de tempo... Ouço-a e volto a ouvir, dentro da minha cabeça, dentro da minha alma, dentro de mim. Agora o vazio foi substituido por um grito contínuo que se repete infinitivamente.
O silêncio que se fazia sentir era mortal, mas agora gritei; Gritei e o eco da minha raiva fez-se sentir em torno de mim.
É tudo tão estranho, tão abstracto, tão dificíl de perceber.
Talvez partir para outra galáxia não fosse de todo, mal pensado. Viajar pelo universo, pelo que nunca tivera sido alcançado; Viver num mundo só meu, longe de tudo, de todos; longe de todos estes problemas e complicações que surgem mas que não tem fim. Um fim... Estarei eu longe de chegar ao fim de tudo isto?! Sei que tudo tem uma solução, uma alternativa, mas situo-me agora naquele maravilhoso labirinto que interrogações, em que me pergunto "onde está essa solução?"... Como é possível que uma resposta tão óbvia esteja tão oculta aos meus olhos? Estou dentro de uma gigantesca paranóia; É como um furacão que se apudera da minha mente. Vozes inconcebíveis giram à minha volta, perturbando-me o pensamento... Vozes, rostos que me acordam quando fecho os olhos, que se riem quando eu caio. E cá dentro, não consigo parar de ouvir, de ver tudo isto... Um abismo de longo percurso, sem regresso; Um abismo, em que a minha voz continua a ecoar, atravessando a algazarra silenciosa deste estupido e medíocre mundo desvanecido, onde tudo está longe de ser perfeito.
Obscura melancolia sem possível caracterização.

4 comentários:

Mel disse...

finalmente gritaste e rompeste com o silêncio. Atiraste toda essa raiva acumulada cá para fora... não te sentiste mais leve? :)

beijos *

Libelinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
(Un)Hapiness disse...

o grito, por si só, é já um óptimo sinal, no entatno não percebo pk dizes q te odeias...não percebo pk queres fugir! o mal pode não estar em ti, já pensaste nisso? não vejas tudo como um complô contra ti..são antes circunstâncias q te fazem sofrer...ms nem tudo será sempre assim acredita!!

bjinhos, anima-te...voltarei pa ver como andas ;)

kiss

Libelinha disse...

Cara (un)hapiness,
Espero que tenhas razão :) ... espero que nem sempre seja assim.
Quanto ás tuas duvidas: Eu odeio-me, e por isso quero fugir, quero libertar-me da pessoa que sou.
Obrigada pelo apoio, beijinho.